segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Oficina de Língua Brasileira de Sinais -LIBRAS -




Uma das atividades desenvolvidas pelo PIMA é a Oficina de Libras: O Surdo e a Língua de Sinais, realizada nas turmas em que se encontram acadêmicos surdos. Esta atividade teve início no ano de 2009, com o objetivo de oportunizar conhecimentos sobre Cultura Surda, Libras e estratégias de comunicação entre surdos e ouvintes. A oficina, direcionada a colegas e professores de acadêmicos surdos, é oferecida pelo PIMA ao professor no início do semestre. Caso o professor oportunize a realização da oficina, trabalha-se por cerca de uma hora os tópicos: Cultura Surda, breve histórico da Libras e do alfabeto das línguas de sinais, classificadores, a relação entre o Intérprete de Libras, alunos surdos e professores, estratégias de comunicação com o surdo, tecnologia surda e histórias infantis para surdos. 

Das turmas que já vivenciaram esta experiência, temos o depoimento do Prof. Juarez Martins Ribeiro sobre a oficina realizada dia 28/10/2011, que ministra a disciplina de Processo Penal, sobre a importância desse momento: 

“A realização da Oficina de Libras é de suma importância, pois é uma maneira de incluir o aluno através de uma abordagem das questões da surdez pelo viés da diferença, e não pelo viés da deficiência. Também importantíssimo chamar a atenção das diferenças e semelhanças, já que somos todos diferentes mas iguais na essência. 

Acredito que os alunos surdos possuem uma vantagem: a percepção visual. Nas minhas aulas costumo utilizar gráficos e esquemas na apresentação dos conteúdos, assim exercitando a memória visual de todos os alunos. 

Gostei muito da forma como foram expostos os conteúdos e percebi que a turma teve atenção total, demonstrando interesse em conhecer. E uma sugestão para as próximas oficinas é também abordar as questões de outras diferenças como o universo dos cegos, cadeirantes, etc.” 

E da professora Luciana Murari sobre a oficina realizada no dia 13/09/2011 na disciplina  Universidade e Sociedade.

“A presença dos alunos Vinicius, Franciele e Andiara e da Ana, intérprete de Libras, vem representando, para meus alunos de Universidade e Sociedade, a aquisição de uma vivência até então inédita para a maioria deles: a descoberta de uma nova língua, de uma nova dinâmica de comunicação, de uma nova forma de interação entre as pessoas, enfim, de uma cultura que poderia ser tão próxima, mas que acaba muitas vezes parecendo tão distante de nós, os ouvintes, os ditos “normais”. Inicialmente, percebi um considerável estranhamento. Aliás, confesso que também para mim a experiência era nova e desafiadora. A realização da oficina de Libras, conduzida com imensa capacidade expressiva e carisma pelos alunos surdos da turma, foi um momento de aprendizagem que ultrapassou a dimensão do conteúdo. Além de termos sido apresentados à riqueza da cultura surda, aprendemos muito sobre a possibilidade de, reconhecendo as diferenças, estabelecer canais de comunicação capazes de promover uma real integração entre as diversas maneiras de viver. Ao final, a oficina foi uma aula prática de cidadania – como, em geral, o próprio convívio constante com os alunos surdos tem sido para todos nós.” 

Postagem: Ana Lúcia Gil Terres e Priscila Paris Duarte - Tradutoras/Intérpretes de Libras

Um comentário:

  1. Parabéns e obrigada pela realização das oficinas:
    a) aos surdos por ensinar-nos a conviver com eles e respeitar sua cultura!
    b) às interpretes pelo apoio nas oficinas e contribuição na elaboração dos blogs!
    c)aos professores pela sensibilidade em disponibilizar espaço em suas aulas e também pela contribuição de seus depoimentos!
    d)à profa. Cláudia e à Glenda pela formatação dos blogs!
    Abraço à todos
    Profa. Zita Canuto

    ResponderExcluir